Homenagem a Gilbert Durand (01/05/1921 – 07/12/2012)

Há um ano, Gilbert Durand nos deixava. Seu legado, porém, continua e sua presença é viva no cotidiano de nosso trabalho. Imaginalis presta sua homenagem ao mestre com uma exposição até 12 de dezembro (clique aqui para ver a notícia)na Fabico/UFRGS e um sarau intimista na tarde de ontem, com todos os membros do grupo lendo trechos favoritos da obra durandiana e ouvindo Wagner, um de seus compositores preferidos.

Sobre Gilbert Durand, diz Jean-Jacques Wunenburger, presidente da Associação dos Amigos de Gilbert Durand e vice-líder do grupo Imaginalis: “Antes de toda obra, há o homem. Gilbert Durand sabia usar todas as facetas de uma psicologia profunda e sutil: célebre por sua calma sorridente e sedutar, rosto do noturno, ele sabia também se utilizar de cóleras rebeldes – como São Jorge – contra a idiotice dos homens e das instituições; enraizado localmente na sua Savoie natal, onde ele combateu duramente nas horas de sombras, ele sabia também se abrir ao mundo global, convocando com facilidade e familiaridade todas as civilizações antigas e contemporâneas; excelente nas negociações quase intimistas, sem notas decoradas, quando ele tornava limpido o essencial, ele sabia também manejar emseus artigos uma erudição sem igual, que repousava sobre uma cultura impressionante em todos os domínios, da história das religiões às ciências microfísicas. Por sua cultura enciclopédica, ele era o homem das pontes (pontífice), ponte entre os homens, entre os saberes, ponte entre as culturas, do Brasil à China, do wagnerismo nórdico aos cultos vodus do sul”.

Danielle Perin da Rocha Pitta, professora colaboradora da UFPE, Presidente da Associação Nacional Ylê Setí do Imaginário e introdutora no Brasil dos estudos do imaginário da escola de Grenoble fundada por Durand afirma: “A teoria de Gilbert Durand, mesmo que se tenha conhecimento dela numa universidade, torna-se rapidamente uma nova percepção do mundo e tem por conseqüência uma ação imediata: teoria e prática são aqui indissociáveis. Para mim, pessoalmente, ela trouxe, através da compreensão do mundo que ela propicia, um entusiasmo pela vida e um amor pelo outro que me permitiu ter uma vida feliz, ensolarada, onde as sombras foram uma convite ao conhecimento. Agradeço-lhe do fundo da minha alma.” Não deixe de ler o depoimento completo de Danielle relatando o histórico encontro com Gilbert Durand e suas relações com o Brasil clicando aqui.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

12 + 9 =